Bruno Araújo pede demissão do Ministério das Cidades

02:25 Política, Notícias 14/11/2017 - 07h46 Brasília Embed

Kariane Costa

Em uma cerimônia simbólica, o governo formalizou nessa segunda-feira (13) a entrega do cartão- reforma.


Lançado há um ano, o programa é destinado à famílias com renda de até R$ 2,8 mil. Cada família deve receber em média R$ 6 mil para gastar com material de construção, reformar, ampliar ou terminar os imóveis onde moram.


A mão de obra fica por conta do morador.


O presidente Michel Temer participou da cerimônia e entregou 150 cartões-reforma para famílias que vieram de um bairro pobre de Caruaru,em Pernambuco, cidade piloto do projeto.


Também foi assinado, nessa segunda-feira (13), a ampliação do programa para municípios que estão em estado de emergência no Rio Grande do Sul, em Alagoas e Santa Catarina.


A meta é que até o fim de 2018 mais de 180 mil famílias sejam beneficiadas.


Ao discursar, Temer comparou seu governo a uma casa que esta em obras, dizendo que as reformas provocam muita reclamação no inicio, mas ao ser finalizada agrada a todos. Temer também voltou a defender a reforma da Previdência.


Após participar do evento, o ministro das Cidades, Bruno Araújo, pediu demissão. Araújo entregou uma carta ao presidente Temer onde agradeceu a confiança por ter sido indicado para o cargo, mas não explicou os motivos que o levaram a deixar o governo.


Araújo é deputado federal pelo PSDB de Pernambuco e assumiu o ministério em maio do ano passado.


A saída de Bruno Araújo acontece após o racha do PSDB ter ganhando força durante a votação da denúncia contra Michel Temer na Câmara. O PSDB, que faz parte da base aliada, deve decidir nos próximos dias se permanece no governo.


Em nota, Temer aceitou a demissão e agradeceu o trabalho de Bruno Araújo no Ministério das Cidades.


Pela primeira vez, o presidente vai promover uma reforma ministerial, que deve ser concluída até meados de dezembro.