Ex-gerente da Transpetro é preso em nova fase da Lava Jato; MPF compara esquema ao da Petrobras

02:47 Política, Notícias 21/11/2017 - 18h16 Brasília Embed

Leandro Martins

A Operação Lava Jato chegou à fase de número 47 com uma investigação que apura corrupção na Transpetro.

 

O ex-gerente da transportadora, José Antônio de Jesus, foi preso temporariamente nesta etapa, suspeito de receber cerca de R$ 7 milhões em propina para beneficiar contratos da NM Engenharia.

 

A procuradora da República Jerusa Burmann Viecili explica o esquema era parecido com o da Petrobras. 

 

Sem revelar destinatários, o Ministério Público diz que parte do dinheiro era direcionado ao PT, partido no qual o ex-gerente tinha influência, e também ao PMDB.

 

O esquema prevaleceu entre setembro de 2009 e março de 2014.

 

De acordo com o procurador da República Athayde Ribeiro Costa investigadores chegaram ao esquema depois da colaboração premiada de executivos da empresa de engenharia.

 

A polícia cumpriu oito mandados de busca e apreensão, cinco de condução coercitiva e um de prisão temporária, na Bahia, Sergipe, Santa Catarina e São Paulo.

 

Por meio de nota a Transpetro informou que apura as denúncias de irregularidades envolvendo o ex-funcionário e presta todo apoio necessário às investigações da Operação Lava Jato.

 

Em nota, o advogado Fernando José da Costa informa que parte das informações prestadas  nesta terça-feira (21) pelo MPF na coletiva de imprensa referente à fase 47ª da Operação Lava Jato é resultado da colaboração premiada celebrada por sócios da empresa citada.

 

E informa ainda que estão à disposição das autoridades públicas para quaisquer esclarecimentos adicionais que se façam necessários.



Com colaboração de Graziele Bezerra, da Rádio Nacional em Brasília, Leandro Martins.