Mais uma entidade de trabalhadores pede que STF declare jornada intermitente inconstitucional

01:14 Política, Notícias 27/11/2017 - 10h36 Brasília Embed

Lucas Pordeus León

O Supremo Tribunal Federal (STF) já está com duas ações contra o trabalho intermitente. Depois da Confederação dos Trabalhadores da Segurança Privada, foi a vez da Federação dos Empregados de Postos de Gasolina ajuizarem no STF uma ação de inconstitucionalidade.

 

As ações pedem a suspensão da jornada intermitente, aprovada na reforma trabalhista. Eles alegam a violação ao direito ao salário mínimo e a redução ao direito do décimo terceiro salário e ao pagamento de férias. Segunda a federação, a jornada intermitente precariza a relação de emprego, com pagamento de salários inferiores ao mínimo, não atendendo às necessidades básicas do trabalhador.

 

O trabalho intermitente é uma nova modalidade de contrato, onde o empregado só recebe pela hora trabalhada sem jornada prévia estabelecida, ficando à disposição do patrão quando houver demanda para trabalhar. O relator das ações será o ministro Edson Fachin.

 

* Áudio substituído às 14h51 para acréscimo de informação.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique