Esquema de Cabral recebeu em propina cerca de R$ 500 milhões, diz operador em depoimento

02:11 Política, Notícias 12/12/2017 - 10h18 Rio de Janeiro Embed

Joana Moscatelli

O juiz da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro Marcelo Bretas ouviu, nessa segunda-feira (11), acusados de participar da organização criminosa instalada durante os governos de Sérgio Cabral.

 

Sócio da construtora Carioca Engenharia, Ricardo Pernambuco confirmou que a propina paga pela empresa para a organização liderada por Cabral aumentou de R$ 200 mil para R$ 500 mil por mês com a obra da Linha 4 do MetrôRio.

 

Apontado como operador financeiro do esquema, Carlos Miranda informou que a propina era paga de acordo com o faturamento nas obras públicas do estado. Miranda admitiu controlar todas as contas do ex-governador Sérgio Cabral, inclusive as pessoais, desde a década de 1990.

 

Segundo ele, o esquema de Cabral recebeu em propina em torno de R$ 500 milhões e a maior parte foi encaminhada para o exterior. 

 

Para o procurador da República Sérgio Pinel, os depoimentos dessa segunda-feira confirmam o funcionamento da organização criminosa chefiada pelo ex-governador Sérgio Cabral.

 

Acompanhe a reportagem e saiba mais. 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique