MP do Rio pede afastamento de Pezão por não investir percentual mínimo na área de saúde

02:23 Política, Notícias 09/03/2018 - 19h04 Rio de Janeiro Embed

Lígia Souto

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro ajuizou, nesta quinta-feira, uma ação contra o governador Luiz Fernando Pezão por ato de improbidade administrativa. O MP pede o afastamento de Pezão do cargo por ele ter deixado de aplicar na área da saúde em 2016 o percentual mínimo de 12%.

 

Esta não é a primeira vez que o governador é alvo desse tipo de ação. Em 2015, segundo o MP, a área da saúde também recebeu menos que o previsto em lei.


O MPRJ usou como base o cálculo do Tribunal de Contas do Estado, que mostrou que em 2016 apenas 10,42% do orçamento foram gastos com saúde. Isso significa que o governo deixou de investir 574 milhões de reais.

 

Além desse valor, segundo a coordenadora do Grupo de Combate à Corrupção, Patricia Villela, há um montante de 1 bilhão e 900 milhões de reais em serviços prestados que não foram pagos.

 

O procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem explicou, no entanto, que a ação não deve ser concluída antes do término do mandato do governador, no fim deste ano.

 

Por nota, a assessoria do governador informou que a Procuradoria-Geral do Estado recorreu da ação no Supremo Tribunal Federal. A assessoria argumenta, ainda, que o descumprimento do índice em 2016 foi “plenamente justificado” pelos arrestos e bloqueios realizados naquele ano.

 

Patrícia Villela informou, no entanto, que, a lei é imutável e que independente do cenário econômico, o percentual a ser investido é fixo. Ela ressaltou, ainda, que além da perda da função pública e à suspensão dos direitos políticos, o MP vai pedir também dano moral coletivo.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique