Justiça rejeita recurso e mantém condenação do ex-governador Eduardo Azeredo

01:40 Política, Notícias 24/04/2018 - 19h14 Brasília Embed

Samanta do Carmo

Por três votos a dois, os desembargadores do Tribunal de Justiça de Minas Gerais negaram nesta tarde os embargos infringentes apresentados pela defesa do ex-governador do Estado e e x-presidente nacional do PSDB, Eduardo Azeredo.

 

Com isso a condenação de Azeredo a 20 anos e 10 meses de prisão pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro foi mantida. Os crimes teriam ocorrido na campanha para a reeleição dele, em 1998, e o caso ficou conhecido como mensalão mineiro.

 

Segundo o Ministério Público, Azeredo teria transferido R$ 3 milhões de estatais para a empresa do publicitário Marcos Valério, sem licitação ou contrato formal. O pagamento seria referente a caixa dois da campanha eleitoral.

 

No julgamento, venceu a posição do relator, desembargador Júlio César Lorens. Ele considerou que  existem elementos concretos provando a participação do ex-governador Eduardo Azeredo no desvio de verbas.

 

O procurador do Ministério Público mineiro, Antônio de Padova, pediu, em sua sustentação oral que o ex-governador seja preso seguindo o entendimento do Supremo Tribunal Federal, que diz que os réus podem começar a cumprir pena após a condenação em segunda instância.

 

O tema não foi discutido durante o julgamento, mas Azeredo ainda tem direito a mais um recurso, chamado de embargo declaratório e após isso, pode ter a prisão decretada.Contra a prisão, a defesa argumentou que o ex-governador não tem antecedentes criminais e possui endereço fixo.

 

ex-governador do Estado pelo PSDB,