Governo anuncia acordo e suspensão de greve por 15 dias; decisão divide caminhoneiros

04:08 Política, Notícias 24/05/2018 - 22h05 Brasília Embed

Kariane Costa

Foram mais de 6 horas de reunião. Já passava das 21h dessa quinta-feira (24) quando o governo e representantes de caminhoneiros  anunciaram acordo e  o fim da greve por 15 dias.

 

O texto acordado prevê 12 pontos. Entre eles, a redução em 10% do valor do óleo diesel por 30 dias.  15 a mais do anunciado pela  Petrobras.

 

Como explicou o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. 

 

A Petrobras, por nota, classificou  o acordo como positivo.

 

O texto diz ainda que do ponto de vista da empresa, o ressarcimento proposto pela União preserva integralmente a política de preços da companhia ao mesmo tempo que viabiliza maior previsibilidade para os consumidores.


A redução da alíquota zero da contribuição da Cide também entrou no acordo.

 

Mas, o decreto só será editado  após a provação no Congresso do texto sobre a reoneração da folha de pagamento.  Outro ponto foi a não reoneração da folha de pagamento para o setor de transportes.



O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, informou  que a partir de agora, haverá um  tempo de intervalo mínimo de 30  dias para reajustes no Diesel.

 

Também será negociado  com os estados o fim da cobrança de pedágio por eixo suspenso para caminhões que trafegam vazios.

 

O termo foi assinado pela CNTA, Confederação dos Caminhoneiros Autônomos de Carga, sindicato nacional dos caminhoneiros entre outros.

 

Mas proposta dividiu os caminhoneiros.

 

Alguns representantes da categoria, abandonaram a reunião, como foi o caso do presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros, Abcam, José da Fonseca Lopes.

 

Ao sair ele afirmou que a entidade mantém posição de manutenção  de paralisação dos motoristas.  A Abcam é a associação que lidera o protesto dos caminhoneiros.

 

De acordo com o presidente da CNTA, Dilmar Bueno, que assinou o acordo, a  desmobilização do movimento vai depender da categoria.

 

Em 15 dias,   governo e caminheiros  voltam a se reunir.

 

O presidente Michel Temer não participou da reunião no Palácio do Planalto, mas durante discurso na solenidade em Minas Gerais,  durante a comemoração ao Dia da Indústria, disse que vai propor aos estados a redução do ICMS.

 

De acordo com ministro Eliseu Padilha, a alta da gasolina não entrou na pauta de discussão, e por enquanto o governo não estuda nenhuma medida à respeito.

 

 

* Texto e áudio atualizados às 14h46 de 25/05/18. 

 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique