Eduardo Cunha é condenado a 24 anos de prisão em fraudes no FI-FGTS

00:00 Política, Notícias 02/06/2018 - 13h26 Brasília Embed

Juliana Russomano

O ex-deputado Eduardo Cunha e outras três pessoas foram condenadas, nessa sexta-feira (1), pela Justiça Federal.

 

Eles são acusados de participar de esquema de propina para liberar recursos do Fundo de Investimentos do FGTS, administrado pela Caixa Econômica Federal. O esquema foi descoberto na operação Sepsis, da Polícia Federal em meados de 2016.

 

Cunha foi condenado a 24 anos e 10 meses de prisão, em regime fechado, pelo crime de corrupção. O ex-deputado está preso desde outubro de 2016, após condenação de 15 anos em outro processo da Lava Jato.

 

Outro condenado pelo juiz Vallisney Souza Oliveira, foi o também ex-deputado Henrique Eduardo Alves. Ele recebeu pena de oito anos e oito meses de prisão.

 

A investigação foi baseada nos depoimentos de delação premiada do ex-vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa, Fábio Cleto, e do doleiro Lúcio Funaro, que também foram condenados.

 

Em um dos depoimentos, Cleto acusou Cunha de receber 80% da propina arrecadada entre empresas interessadas na liberação de verbas do Fundo de Investimentos.

 

Ainda cabe recurso da decisão. Até o fechamento desta reportagem não conseguimos contato com as defesas dos acusados.

 

Com informações da Agência Brasil, Juliana Russomano

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique