Proposta de teto salarial para funcionalismo público limita auxílio-moradia a doze meses

02:18 Política, Notícias 12/06/2018 - 21h41 Brasília Embed

Samanta do Carmo

O relatório apresentado nesta terça-feira sobre o projeto de lei que regulamenta o teto salarial para os servidores públicos dos três poderes prevê que o auxílio-moradia deve ser incluído no limite máximo de R$ 33,763 mil que pode ser recebido como remuneração pelos servidores. Este valor tem como base a remuneração dos ministros do Supremo Tribunal Federal.

 

Pelo texto, o auxílio-moradia poderá ser pago por apenas doze meses e terá regras de concessão. Por exemplo, o funcionário público precisa trabalhar em um local diferente de sua residência original. Os honorários pagos aos membros da Advocacia Geral da União, a AGU, também ficarão limitados ao teto de cerca de  R$ 33 mil.

 

O relator da proposta é o deputado Rubens Bueno, do PPS. Ele comenta que a comissão especial trabalhou por nove meses e o texto não aumenta salários e nem reduz benefícios.

 

Rubens Bueno espera que a medida seja votada ainda neste mês, mas outros deputados, como Rogério Rosso, do PSD, pedem cautela. Rosso aponta categorias que estariam sendo prejudicadas.

 

Auxílio alimentação, auxílio transporte, hora extra, auxílio creche, adicional noturno, auxílio funeral e férias ficam de fora do teto remuneratório. O s membros da comissão pediram vista do relatório.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique