CNJ atua contra juízes que apoiam candidatos nas redes sociais

01:21 Política, Notícias 12/10/2018 - 13h54 Brasília Embed

Lucas Pordeus Leon

O Conselho Nacional de Justiça encaminhou uma reclamação disciplinar contra o desembargador Marcello Ferreira Granado, do TRF2, o Tribunal Regional Federal  da 2ª região
        

O juiz demostrou apoio ao candidato ao governo do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. O desembargador é o mesmo que condenou Anthony Garotinho, outro candidato ao governo do Rio, que acabou barrado pela lei da ficha limpa.

 

O CNJ também instaurou um pedido de providências, por postagens no Facebook, contra a juíza de direito Kenarik Boujikian, substituta do Tribunal de Justiça de São Paulo. A magistrada parabeniza o governador Flávio Dino, do Maranhão, pela reeleição no 1º turno.


As ações do corregedor-geral de justiça, Humberto Martins, se baseiam na lei da Magistratura e na Constituição, que proíbe juízes de se dedicarem a atividades político-partidárias. Mas esses não são os primeiros casos.


O CNJ já havia notificado outros 5 magistrados por conta de manifestações políticas. Entre eles, o responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro, Marcelo Bretas, que parabenizou Flávio Bolsonaro e Arolde de Oliveira, eleitos para o Senado.

 

Antes da eleição, o Conselho Nacional de Justiça tinha recomendado que os juízes não se manifestassem sobre o pleito. Entidades representativas, como a Associação de Magistrados do Brasil, foram contra a determinação do Conselho.

Deseja fazer algum tipo de manifestação?

Favor copiar o link do conteúdo ao apresentar sua sugestão, elogio, denúncia, reclamação ou solicitação.