Ex-prefeito de Marabá é preso pela PF; presidente do PROS tem prisão decretada

02:04 Política, Notícias 19/10/2018 - 09h14 Brasília Embed

Samanta do Carmo

O ex-prefeito de Marabá (PA) João Salame Neto foi preso nessa quarta -feira (18), pela Polícia Federal (PF), suspeito de participar de um esquema de desvio de dinheiro federal que deveria ser usado para a aquisição de gases medicinais, como oxigênio, em Marabá e Altamira, no Pará, e em Brasília.

 

Foram cumpridos, ao todo, sete mandados de prisão e nove de buscas e apreensão.

 

Um dos mandados de prisão temporária ainda precisa ser executado. Ele foi expedido contra o presidente nacional do PROS, Eurípedes Junior.

 

De acordo com a PF, ele já está negociando para se entregar. A assessoria do partido ainda não se manifestou sobre esse assunto.

 

A operação foi realizada em conjunto com a Receita Federal, que verificou uma série de irregularidades, como movimentações bancárias em valores superiores aos declarados pelos envolvidos, como explica o delegado da Polícia Federal, Rômulo Rodovalho.

 

Segundo a Polícia Federal, uma aeronave também foi comprada com dinheiro desviado e quando a suspeita surgiu, ela teria sido enviada para Goiás, onde ficou sob os cuidados da direção nacional do PROS.

 

Em nota, o partido afirma que o ex-prefeito João Salame não é filiado ao PROS e que não há qualquer relação do partido com a prefeitura de Marabá.

 

Além disso, menciona que a legenda foi citada na operação por ter adquirido, legalmente, uma aeronave no estado do Pará. A compra e a venda foi informada à Justiça Eleitoral.

 

Os investigados podem responder pelos crimes de associação criminosa, corrupção ativa e passiva, além de falsidade ideológica.