Conselho Nacional de Justiça pede que Moro explique suposta atividade político-partidária

01:27 Política, Notícias 11/11/2018 - 15h56 Brasília Embed

Samanta do Carmo

O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, juiz responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, terá de prestar esclarecimentos ao Conselho Nacional de Justiça, em 15 dias, sobre a suspeita de ter exercido atividade político-partidária enquanto ainda é magistrado.

 

A determinação foi dada  pelo corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, que reuniu e instaurou juntos três pedidos de providências contra Moro. O CNJ é o órgão responsável por cuidar da conduta ética dos juízes. Os questionamentos foram protocolados por deputados do PT, por um cidadão e pela Associação Brasileira de Juristas pela Democracia.

 

A Associação argumenta que ao negociar o cargo de ministro ainda durante o exercício do cargo de magistrado, Moro teria violado a Constituição, que proíbe que juízes tenham atividade político-partidária.

 

O processo está em segredo de Justiça. Após aceitar integrar o governo de Jair Bolsonaro, Sérgio Moro entrou em férias e deve pedir exoneração da carreira no Judiciário antes da posse como ministro.

 

Existem pelo menos outras duas reclamações contra Moro no CNJ, uma delas sobre a gravação e divulgação de conversas telefônicas da ex-presidenta Dilma Rousseff. Os processos não têm data para serem julgados.

 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique