Marun diz que tendência é que Temer sancione reajuste do Judiciário

01:44 Política, Notícias 09/11/2018 - 08h49 Brasília Embed

Graziele Bezerra

O governo pode sancionar a aprovação do reajuste salarial de 16% para o Judiciário, a partir de 2019.

 

Segundo o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, essa é a tendência, ainda que o Executivo tenha o poder do veto.


"Claro que o governo vai examinar dentro das suas prerrogativas de Executivo, mas eu na verdade entendo que o governo vai respeitar a vontade do Judiciário e do Legislativo expressa na proposta orçamentária de um e na proposta orçamentária do outro."

 

O reajuste preocupa o futuro governo. O presidente eleito, Jair Bolsonaro, chegou a dizer que este não era o melhor momento para aumentar o salário do Judiciário, por causa da crise econômica.

 

Mas, na avaliação do futuro ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, a aprovação do reajuste não chega a ser uma derrota para o novo governo.
 

"Não é derrota. É preocupação. Mas não é derrota. Não considera, tenho certeza que ele não considera derrota. É uma preocupação até pelos gastos que foram anunciados. Mas isso tem que ser muito bem estudado. Não dá para fazer essa avaliação aqui. Isso ele tem que avaliar, principalmente com o doutor Paulo Guedes, para verificar qual impacto."
 

O reajuste do Judiciário provoca um efeito cascata sobre os salários dos servidores do setor e abre caminho também para um possível aumento dos vencimentos dos parlamentares e do próprio presidente da República.