Bolsonaro diz que pena de morte não será discutida em seu governo

01:01 Política, Notícias 16/12/2018 - 12h03 Brasília Embed

Sumaia Villela

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, negou hoje, no Twitter, que a pena de morte será discutida em seu governo.

 

A declaração foi feita em resposta a reportagem do jornal O Globo, em que um dos filhos do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, defende a penalidade para traficantes de drogas e autores de crimes hediondos.

 

Jair Bolsonaro escreveu que a proibição da pena de morte é uma cláusula pétrea da Constituição Federal, ou seja, não pode ser modificada por meio de Emenda Constitucional. O presidente também afirmou que o tema não fez parte de sua campanha eleitoral.

 

Bolsonaro também afirmou, pelo Twitter, que acionou os futuros ministros de Minas e Energia e Agricultura para analisar o potencial de exploração de reservas de potássio, cálcio e magnésio do país.

 

A justificativa do presidente eleito é que o Brasil possui as matérias-primas em abundância, mas ainda depende da importação das substâncias para a produção de fertilizantes.

 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique