CPI de Brumadinho: gestor afastado da Vale diz que acreditava na segurança da barragem

02:12 Política, Notícias 28/03/2019 - 17h58 Brasília Embed

Lucas Pordeus León

O presidente afastado da Vale, Fábio Schvartsman, afirmou, nesta quinta-feira (28), que não existiam dados ou informações que indicassem risco nas barragens da mineradora antes do acidente em Brumadinho, Minas Gerais.

 

A afirmação foi feita durante a CPI de Brumadinho no Senado.

 

Segundo o executivo, as áreas técnicas da empresa e as auditorias independentes contratadas atestavam que as barragens estavam seguras.

 

Em abril de 2018, em entrevista ao site de notícias Valor Econômico, Fábio Schvartsman afirmou que a segurança das barragens era impecável, isso já depois da tragédia em Mariana, também em Minas.

 

Nove meses após a declaração, a barragem de Brumadinho rompeu deixando 216 mortos e 88 desaparecidos, segundo dados da defesa civil mineira divulgados nessa quarta-feira (27).

 

As explicações do presidente afastado da Vale irritaram os senadores da Comissão Parlamentar de Inquérito. A senadora Rose de Freiras, do Podemos capixaba, criticou o fato da empresa não encontrar os responsáveis pela tragédia.

 

Segundo Fábio Schvartsman, cada área ou localidade tem autonomia financeira e organizacional para gerir os negócios, e não chagava à cúpula da Vale qualquer informação sobre a falta de segurança das barragens.

 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique