Manifestantes saem às ruas para lembrar o 31 de março de 1964

01:31 Política, Notícias 01/04/2019 - 07h54 Brasília Embed

Gilberto Costa, da Agência Brasil

O 31 de março foi marcado por manifestações contrárias e favoráveis ao regime militar instaurado em 1964 com a deposição do presidente João Goulart e a tomada de poder pelas Forças Armadas.

 

Na capital federal, na Esplanada dos Ministérios, a União dos Movimentos de Brasília preparou a exibição de vídeos sobre o que o jornalista e organizador do evento, Felipe Porto, chamou de “intervenção cívico-militar”. Ele explica o objetivo do ato:

 

Sonora: “Nunca para comemorar excesso de coisa nenhuma, que houve excesso de ambos os lados, com certeza.”

 

A data também foi lembrada por movimentos contrários ao período militar, que durou até 1985. Cerca de 400 pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar, se concentraram no Eixão Norte, uma das principais vias de Brasília. Uma delas foi a doutoranda em Desenvolvimento Sustentável da UnB, Fernanda Santana de Oliveira.


Sonora: “Isso não pode ser uma data comemorativa. Isso tem que ser uma data de pesar e de reflexão para evitar que isso aconteça novamente na nossa história.”

 

No Rio de Janeiro, manifestantes foram às ruas na Cinelândia e exibiram fotografias e relatos de episódios da época.

 

Já em São Paulo, o Ministério Público Federal e outras entidades organizaram uma caminhada silenciosa, no Parque Ibirapuera, em homenagem às vítimas do período.


*Com informações da Agência Brasil.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique