IBGE: desemprego cai para 11,2% no trimestre encerrado em janeiro

03:12 Economia, Notícias 28/02/2020 - 14h17 Rio de Janeiro Embed

Raquel Júnia

A taxa de desocupação do país no trimestre móvel encerrado em janeiro ficou em 11,2%. O resultado é 0,4 ponto percentual menor do que o registrado no trimestre encerrado em outubro. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, a redução na desocupação foi de 0,8 ponto percentual.


O Brasil ainda tem, no entanto, 11,9 milhões desempregados. As informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, a Pnad Contínua, foram divulgadas nesta sexta-feira, pelo IBGE.


A analista do IBGE Adriana Beringuy explica que a queda na taxa de desocupação tem uma explicação sazonal e não necessariamente revela a recuperação do mercado de trabalho.


“Essa queda agora está muito relacionada a um efeito sazonal, de processo de interrupção por procura de trabalho. As pessoas, em função de férias, se retiram temporariamente da procura, ou seja, há menos pressão sobre o mercado de trabalho, fazendo essa taxa cair”.


Os dados mostram que o contingente de trabalhadores com carteira de trabalho assinada no setor privado cresceu em relação ao trimestre anterior. O aumento foi de 1,5%, ou 540 mil pessoas. Na comparação com o mesmo período de 2019, o aumento foi de 2,6%.


A categoria dos empregados sem carteira assinada no setor privado ficou estável em relação ao trimestre móvel anterior e cresceu 3,7% se comparada ao mesmo trimestre do ano passado. Adriana Beringuy detalha que os resultados ainda refletem o desempenho da economia em 2019.


“Ainda muito influenciado pelos bons resultados dos meses de novembro e dezembro de 2019, a gente entra 2020 com um janeiro muito influenciado pelos resultados do fim de 2019”.


A população ocupada no país é de 94,2 milhões trabalhadores, sendo que 40,7% deles ainda estão na informalidade, um total de 38,3 milhões pessoas.


A Pnad mostra ainda que estão subutilizadas, ou seja, trabalhando menos do que gostariam ou poderiam, 26,4 milhões de pessoas, número 2,7% menor do que no período anterior.


A quantidade de desalentados – aqueles que desistiram de procurar trabalho –não mudou na comparação trimestral e anual, e continua próximo do recorde da série histórica, que foi de 4,4% da força de trabalho em 2019.  A taxa no trimestre encerrado em janeiro foi de 4,2% da força de trabalho, 4,7 milhões desalentados.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique