Acordo dos planos econômicos é ampliado e estendido por mais cinco anos

02:49 Economia, Notícias 11/03/2020 - 22h55 Brasília Embed

Gésio Passos

As pessoas que pediram na Justiça a correção de valores perdidos nos planos Bresser, Verão e Collor poderão ter mais cinco anos para aderir ao acordo entre bancos e poupadores fechado com o aval do Supremo Tribunal Federal (STF).


O prazo anterior de adesão ao acordo feito em 2017 acabaria nesta quinta-feira, dia 12.


A proposta de ampliação do acordo foi assinada nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, a Federação Brasileira dos Poupadores, a Confederação Nacional do Sistema Financeiro e a Federação Nacional de Bancos. As negociações foram mediadas pela AGU e pelo Banco Central.

 

A homologação do acordo ainda depende de aprovação do STF.


Os Poupadores que entraram na Justiça com ações coletivas até 11 de dezembro de 2017 também poderão aderir ao acordo. Antes, o prazo era dezembro de 2016.


A novidade é a possibilidade de adesão de poupadores que reclamavam a correção do Plano Collor I, até agora limitada a quem tinha recursos na poupança durante o Plano Collor II.


O advogado do Instituto de Defesa do consumidor, Walter Moura, explica a importância da prorrogação do acordo.


Murilo Portugal, presidente da Federação dos Bancos, afirma que os bancos vão dobrar a capacidade de atendimento.


Os pagamentos de todos os planos serão feitos em única parcela em até 15 dias úteis após a validação da adesão. Os valores do acordo ainda serão corrigidos pelo IPCA, nos próximos 5 anos.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique