agario unblocked agario - yohoho - agario - agario - slitherio

Casos de chikungunya no Ceará somam 13 mil entre janeiro e maio

04:02 Geral, Notícias 15/05/2017 - 07h10 Fortaleza Embed

Edwirges Nogueira

São crescentes os casos de febre chikungunya, no Ceará, este ano. De janeiro até a segunda semana de maio foram confirmados mais de 13 mil casos. A jornalista Talita Sales teve a doença e conta como se sentiu. 


A chikungunya é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo vetor da dengue e do Zika vírus, e chega a ser mais debilitante. A febre surge logo no início da doença e as dores nas articulações podem durar meses.
 

Em 2016, a Secretaria da Saúde do Ceará classificou a doença como epidêmica, com 31 mil casos confirmados. A estimativa é que a cada dez pessoas picadas pelo mosquito transmissor, pelo menos sete fiquem doentes.


Assim como na dengue e na zika, a transmissão da chikungunya começa quando o Aedes aegypti pica uma pessoa doente. 


De acordo com a coordenadora de Proteção à Saúde da secretaria, Daniele Queiroz, o vírus se multiplica rapidamente e o mosquito começa a infectar outras pessoas dentro de apenas dois dias. 


Além disso, as pessoas que ficaram doentes podem passar o vírus para diversos mosquitos durante dez dias. 


Fortaleza responde por mais da metade dos casos de chikungunya registrados no Ceará: são 8 mil casos só neste ano.
 

A prefeitura lançou campanha para engajar a população no combate ao Aedes aegypti. 


Desde 2016, quando o número de casos começou a crescer de forma significativa, os agentes de endemias passaram a visitar casas, prédios e comércios periodicamente para procurar focos do mosquito e aplicar telas em caixas d'água. 


Também foram autorizadas as entradas em residências e terrenos abandonados, mesmo sem a permissão dos proprietários. 


Para a secretária de Saúde de Fortaleza, Joana Maciel, a adesão das pessoas é um dos principais aspectos do combate ao Aedes aegypti. 


Além das ações de combate ao mosquito, um grupo de especialistas do Ceará se reuniu, a convite da prefeitura, para formar grupos de pesquisa sobre a chikungunya e a forma como a doença evolui, no estado.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique