agario unblocked agario - yohoho - agario - agario - slitherio

Cariocas voltam a ocupar áreas de lazer no Rio, após três meses fechadas

02:53 Geral, Notícias 12/07/2020 - 13h03 Rio de Janeiro Embed

Cynthia Cruz

Tradicionais áreas de lazer da cidade do Rio, fechadas pela pandemia, voltaram a ser liberadas para uso da população. São ruas e avenidas que normalmente eram ocupadas por moradores da cidades e turistas aos domingos e feriados, antes das medidas de prevenção ao novo coronavírus.

 

A volta da permissão de uso desses espaços e o domingo de céu azul foram um convite para caminhadas e passeios, que atraíram muita gente, principalmente a Avenida Atlântica, em Copacabana, zona sul carioca.


A liberação das vias públicas como áreas de lazer faz parte da fase três de flexibilização, estabelecida pela prefeitura. A cada 15 dias uma nova etapa é colocada em prática. No entanto, quem for para as ruas deve ficar atento às regras, como o uso permanente de máscara e a proibição do banho de sol e mar.


No sábado (11), a Guarda Municipal aplicou 44 multas a pessoas que estavam nas praias sem a proteção. Foram mil 289 infrações sanitárias em um mês de atuação dos  guardas, espalhados pela cidade para fazer cumprir as regras de combate da pandemia da Covid-19.


Do total de infrações registradas, entre os dias 5 de junho e 8 de julho, 737 foram pela falta do uso de máscara, sendo 568 constatadas em via pública e 169 dentro de estabelecimentos comerciais.


As demais autuações foram por aglomerações, incluindo filas e em via pública; estabelecimentos abertos sem autorização para funcionar ou fora das condições pré-determinadas. A multa pelo não uso de máscara é de R$107, aplicada no CPF. Já para os estabelecimentos flagrados com consumidores e funcionários sem a proteção varia de R$590 a R$2.696,20, com base na complexidade e risco de cada atividade.

 

Também o governo do estado vai aplicar multa de R$106,65, para quem estiver sem máscara em espaços públicos, transportes públicos, estabelecimentos comerciais e repartições públicas estaduais. O valor pode chegar a R$700 no caso de pessoas jurídicas. O decreto que regulamenta a punição deverá ser sancionado pelo governador Wilson Witzel, nesta segunda-feira (13).

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique